Sendo bem direta na resposta: SIM! Fazer um exercício em MODERADA INTENSIDADE (abaixo de 70% do VO2máx) em jejum queima mais gordura do que se você realizar o mesmo exercício em estado alimentado (após o consumo de uma refeição com carboidratos, por exemplo). MASSSS, a pergunta que não quer calar é: O QUANTO MAIOR É ESSA QUEIMA? Quanto de gordura a mais eu oxido comparando-se os dois estados (jejum x alimentado)? Segundo uma revisão sistemática com metanálise realizada sobre o tema: míseros 3g a mais! Isso mesmo que você leu… em uma sessão de treino com duração média de 30 minutos a uma hora em baixa a moderada intensidade, os estudos encontraram um gasto médio de 3g a mais de gordura quando os participantes realizavam o treino em jejum.

“Mas Paula, então não é melhor aumentar a intensidade do treino, assim queimamos mais gordura?”..veja bem, em intensidades maiores, como o uso de gordura é minoritário (pois o principal nutriente requerido em altas intensidades é o carboidrato do seu glicogênio muscular), os estudos não vêem diferença no uso de substratos energéticos (gordura/carboidrato) entre pessoas alimentadas e pessoas em jejum. Então para garantir um maior uso DE GORDURA DURANTE o treino, ele deve ser feito em intensidade mais baixa.

Vamos raciocinar em cima dessas informações? Você acha que vale a pena fazer um treino em jejum com uma menor intensidade, consequentemente um menor gasto calórico total e menor estímulo a liberação de hormônios importantes para o emagrecimento (como catecolaminas), para garantir a queima de (mais ou menos) 3g a mais de gordura? O quanto isso significará de perda ao final de um mês? Aparentemente não seria grande coisa… É importante lembrar que os estudos em geral olham apenas o efeito AGUDO do jejum no treino. Mas e a longo prazo, que acontece? A maior queima de gordura durante o treino em jejum pode até ser ESTATISTICAMENTE SIGNIFICANTE, mas não necessariamente traz um resultado CLINICAMENTE SIGNIFICATIVO. A constância nas boas escolhas alimentares e a assiduidade nos treinos certamente são soberanos e impactam muito mais a perda de gordura/melhora da composição corporal que qualquer AEJ (Aeróbico Em Jejum).

P.S. se você treina bem em jejum, e inclusive sente que melhora a sua performance em treinos mais intensos fazendo dessa forma, não há porque abrir mão disso 😉 Nesse texto eu quis alertar especialmente as pessoas que escolhem fazer um treino de mais baixa intensidade em jejum (acreditando que isso será uma melhor estratégia de emagrecimento), quando poderiam escolher aumentar a intensidade (seja no estado alimentado ou não) e obter melhores resultados a longo prazo.

Referência: Effects of aerobic exercise performed in fasted v. fed state on fat and carbohydrate metabolism in adults: a systematic review and meta-analysis. British Journal of Nutrition (2016), 116, 1153–1164.

 

Share This